Trend Coffee - Moda Masculina

Cinema Gay
Os melhores filmes do cinema gay
por Felippe Brana
Dias atrás, um amigo que acaba de assumir-se gay pediu que eu indicasse filmes com esse tema para conhecer um pouco mais esse “novo mundo”. Selecionei então alguns títulos do cinema gay que de alguma forma mexeram comigo e resolvi dividir esse momento com vocês.
Confesso que lembro muito pouco do primeiro filme gay que assisti, aos 17 anos, mas lembro bem da sensação incômoda daquele thriller. Lançado em 2002 para a TV canadense, No Night Is Too Long (que no Brasil surgiu como O Poder da Paixão) conta a história de Tim Cornish. Através de flashbacks, o jovem estudante de literatura relembra a cruel história de amor que viveu no passado, procurando assim uma forma de livrar-se da culpa e seguir em frente. Tão intenso quanto erótico, o suspense de Tom Shankland é considerado um dos melhores filmes gays já produzidos. Eu só vi aquela vez e por mais que tente, não consigo assisti-lo de novo.

Descobertas
Por outro lado, Get Real (que no Brasil teve dois títulos, Saindo do Armário e Na Real) é um daqueles dramas que todo garoto deveria conhecer. A história é linda e a mensagem final mostra que você deve enfrentar seus medos para ser feliz. No longa, um jovem de 16 anos se apaixona pelo atleta mais popular do colégio, mas acabam lidando de formas diferentes com as consequências que essa descoberta traz à vida de todos. Sim, o filme é repleto de clichês, mas mostra de uma forma leve e bonita aquele momento de descobertas pelo qual todos já passamos. 

Gostou do trailer de Get Real e não quer esperar? Veja o longa completo no Youtube!
Há outros romances que adoro e, assim como Get Real, focam no momento da descoberta e suas diferentes formas de reação ao assunto, como Delicada Atração (Beautiful Thing), Tempestade de Verão (Summer Storm) e Latter Days. 
Amor nos tempos da guerra
Um outro drama incrível é o israelense Delicada Relação (Yossi & Jagger). Baseado em uma história real, o longa narra a história de amor de dois oficiais em uma base do exército na fronteira de Israel com o Líbano. É impossível não se emocionar com o final de Delicada Relação, assim como é fácil tomar para a si a dor de um casal que tenta manter vivo um amor em meio ao caos e opressão à sua volta.

Transexualidade 
Mas nem só de romances fofos vive o cinema gay. Um exemplo claro é Transamérica. Por mais que eu ame a Reese Witherspoon, vou passar o resto da vida acreditando que Felicity Huffman merecia muito mais aquele Oscar de melhor atriz em 2006. Em Transamérica, Felicity vive a transexual Bree Osbourne, que está prestes a fazer a última cirurgia que a transformará em uma mulher, mas descobre que tem um filho preso em Nova York e parte em uma viagem de descobertas com o jovem até Los Angeles. Transamérica ganhou diversos prêmios e é um dos meus preferidos. Vale muito a pena conhecer a história de superação de Bree Osbourne.

Drama e Violência
Outro drama super elogiado é Mistérios da Carne (Mysterious Skin). O longa conta a história de dois garotinhos abusados sexualmente pelo treinador de beisebol. Enquanto um apaga da memória esta terrível lembrança e passa a acreditar que foi abduzido por ETs, o outro se torna garoto de programa e precisa lidar com os dramas do seu violento passado. É incrível ver a construção de cada história se chocar, levando a um final perturbador. Esse é sem dúvida um dos melhores papéis da carreira de Joseph Gordon-Levitt e um dos filmes gays mais intensos que já vi.

Cinema comercial gay
Também citei filmes mais conhecidos e pelos quais sou apaixonado, como Brokeback Mountain, A Single Man e Notas Sobre Um Escândalo, esses dois últimos já citados aqui no Trend Coffee! Por fim, indiquei o badalado Shortbus, do diretor John Cameron Mitchell. Shortbus é, junto a Get Real, meu filme gay preferido. De uma forma sincera e delicada, o longa de Mitchell mostra a busca por prazer e sexo fácil como forma de preencher um vazio com o qual não é fácil viver. Além disso, tem como protagonista um jovem que vê no suicídio uma forma de escapar do longo e fracassado namoro. Apesar da quantidade excessiva de cenas de sexo explícito, o filme é lindo.

+ Os 4 melhores dramas familiares do cinema gay
+ 5 curtas gay que você precisa conhecer
Quantas dicas, hein! Apesar de seguirem a mesma temática, os filmes mencionados são completamente distintos entre sim. Entre os 12 filmes citados você encontra os medos da descoberta, a solidão insuportável do preconceito, o lado obsessivo do amor, um retrato fiel do mundo transexual e muito, muito mais. Você pode amar ou odiar os filmes que elogiei nesse texto, mas certamente saberá extrair de todos uma mensagem incrível para a sua vida. - Moda Masculina

Cinema Gay

Os melhores filmes do cinema gay

por Felippe Brana

Dias atrás, um amigo que acaba de assumir-se gay pediu que eu indicasse filmes com esse tema para conhecer um pouco mais esse “novo mundo”. Selecionei então alguns títulos do cinema gay que de alguma forma mexeram comigo e resolvi dividir esse momento com vocês.

Confesso que lembro muito pouco do primeiro filme gay que assisti, aos 17 anos, mas lembro bem da sensação incômoda daquele thriller. Lançado em 2002 para a TV canadense, No Night Is Too Long (que no Brasil surgiu como O Poder da Paixão) conta a história de Tim Cornish. Através de flashbacks, o jovem estudante de literatura relembra a cruel história de amor que viveu no passado, procurando assim uma forma de livrar-se da culpa e seguir em frente. Tão intenso quanto erótico, o suspense de Tom Shankland é considerado um dos melhores filmes gays já produzidos. Eu só vi aquela vez e por mais que tente, não consigo assisti-lo de novo.

Descobertas

Por outro lado, Get Real (que no Brasil teve dois títulos, Saindo do Armário e Na Real) é um daqueles dramas que todo garoto deveria conhecer. A história é linda e a mensagem final mostra que você deve enfrentar seus medos para ser feliz. No longa, um jovem de 16 anos se apaixona pelo atleta mais popular do colégio, mas acabam lidando de formas diferentes com as consequências que essa descoberta traz à vida de todos. Sim, o filme é repleto de clichês, mas mostra de uma forma leve e bonita aquele momento de descobertas pelo qual todos já passamos. 

Gostou do trailer de Get Real e não quer esperar? Veja o longa completo no Youtube!

Há outros romances que adoro e, assim como Get Real, focam no momento da descoberta e suas diferentes formas de reação ao assunto, como Delicada Atração (Beautiful Thing), Tempestade de Verão (Summer Storm) e Latter Days

Amor nos tempos da guerra

Um outro drama incrível é o israelense Delicada Relação (Yossi & Jagger). Baseado em uma história real, o longa narra a história de amor de dois oficiais em uma base do exército na fronteira de Israel com o Líbano. É impossível não se emocionar com o final de Delicada Relação, assim como é fácil tomar para a si a dor de um casal que tenta manter vivo um amor em meio ao caos e opressão à sua volta.

Transexualidade 

Mas nem só de romances fofos vive o cinema gay. Um exemplo claro é Transamérica. Por mais que eu ame a Reese Witherspoon, vou passar o resto da vida acreditando que Felicity Huffman merecia muito mais aquele Oscar de melhor atriz em 2006. Em Transamérica, Felicity vive a transexual Bree Osbourne, que está prestes a fazer a última cirurgia que a transformará em uma mulher, mas descobre que tem um filho preso em Nova York e parte em uma viagem de descobertas com o jovem até Los Angeles. Transamérica ganhou diversos prêmios e é um dos meus preferidos. Vale muito a pena conhecer a história de superação de Bree Osbourne.

Drama e Violência

Outro drama super elogiado é Mistérios da Carne (Mysterious Skin). O longa conta a história de dois garotinhos abusados sexualmente pelo treinador de beisebol. Enquanto um apaga da memória esta terrível lembrança e passa a acreditar que foi abduzido por ETs, o outro se torna garoto de programa e precisa lidar com os dramas do seu violento passado. É incrível ver a construção de cada história se chocar, levando a um final perturbador. Esse é sem dúvida um dos melhores papéis da carreira de Joseph Gordon-Levitt e um dos filmes gays mais intensos que já vi.

Cinema comercial gay

Também citei filmes mais conhecidos e pelos quais sou apaixonado, como Brokeback MountainA Single Man e Notas Sobre Um Escândalo, esses dois últimos já citados aqui no Trend Coffee! Por fim, indiquei o badalado Shortbus, do diretor John Cameron Mitchell. Shortbus é, junto a Get Real, meu filme gay preferido. De uma forma sincera e delicada, o longa de Mitchell mostra a busca por prazer e sexo fácil como forma de preencher um vazio com o qual não é fácil viver. Além disso, tem como protagonista um jovem que vê no suicídio uma forma de escapar do longo e fracassado namoro. Apesar da quantidade excessiva de cenas de sexo explícito, o filme é lindo.

+ Os 4 melhores dramas familiares do cinema gay

+ 5 curtas gay que você precisa conhecer

Quantas dicas, hein! Apesar de seguirem a mesma temática, os filmes mencionados são completamente distintos entre sim. Entre os 12 filmes citados você encontra os medos da descoberta, a solidão insuportável do preconceito, o lado obsessivo do amor, um retrato fiel do mundo transexual e muito, muito mais. Você pode amar ou odiar os filmes que elogiei nesse texto, mas certamente saberá extrair de todos uma mensagem incrível para a sua vida.




32

Fotos: Divulgação

blog comments powered by Disqus

26, Março, 2011 l Direitos reservados l 32 likes

Mocca Acessórios masculinos







Faça parte do nosso grupo de leitores











Revista online de moda masculina We Hate Mag